10 dicas importantes para familiares de pessoas com depressão.

Por Débora Koller Sacramento, psicóloga na Crauss Psicologia

De acordo com OMS (Organização Mundial de Saúde), nos próximos 20 anos a depressão será a principal doença mais incapacitante em todo o mundo, afetando mais pessoas que as doenças cardiovasculares e o câncer.

Quem sofre de depressão sabe o quanto é doloroso, mas o sofrimento não é exclusivo de quem tem a doença. Os familiares e as pessoas mais próximas compartilham deste sofrimento, na maioria das vezes por não saberem como ajudar aqueles que amam.

Se você está passando por uma situação assim, veja aqui alguns aspectos importantes que podem ajudar você e seu ente querido:

1. A primeira coisa é informar-se sobre a depressão e suas manifestações. Compreender o que se passa com a pessoa depressiva é a melhor maneira de lidar com ela e oferecer o apoio que ela precisa;

2. Procure ajuda profissional! Garanta que a pessoa inicie imediatamente tratamento com um médico psiquiatra e um psicólogo para que o caso não evolua ainda mais;

3. Entenda que a pessoa não escolheu estar assim. Depressão não é frescura ou falta do que fazer. Acredite, se pudesse escolher, ela não estaria deprimida. Tenha paciência!

4. Seja um bom ouvinte, dê atenção à pessoa deprimida, mostre a ela que você entende que ela está passando por um momento difícil, mas que ela pode contar com você;

5. Incentive a pessoa a fazer suas atividades rotineiras, mas respeite caso ela se recuse. A depressão é uma doença extremamente incapacitante, principalmente pela falta de ânimo e prazer, portanto o que parece muito simples para uma pessoa saudável pode ser insuportável para quem está deprimido;

6. Acompanhe e monitore se a pessoa está tomando corretamente a medicação prescrita pelo médico, bem como se está comparecendo à terapia. Pacientes muito deprimidos podem necessitar de acompanhamento para essas consultas;

7. Em momentos difíceis, em que você está esgotado(a) e até irritado(a) com a pessoa, afaste-se e acalme-se. Evite criticar seu comportamento depressivo;

8. Não se culpe, mesmo que você considere ter errado com a pessoa. Adoecer junto não vai ajudar nenhum dos dois;

9. Fique extremamente atento a falas sobre morte. Leve a sério, mesmo que você acredite que a pessoa jamais cometeria suicídio. Esqueça o mito de que “quem quer não ameaça, vai lá e faz”, pois as ameaças podem significar um pedido de ajuda.

10. Por fim, cuide de si mesmo, tenha um tempo para você e, se precisar de ajuda, procure um psicólogo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *