Deprima-se

Por Francisco Crauss, psicólogo da Crauss Psicologia

DEPRIMA-SE! Isso mesmo, você leu certo! Deprima-se. A tristeza, embora um sentimento ruim de se sentir, tem uma importante função na nossa vida e é um sentimento como qualquer outro. Cada sentimento nos sinaliza algo. A felicidade nos mostra que estamos no caminho certo e que devemos repetir aquela atitude ou situação, o medo nos mostra que existe algum risco ali, a raiva aparece quando nos sentimos injustiçados, mas e a tristeza?! Ficamos tristes quando algo de errado acontece, quando uma expectativa foi frustrada ou algo na vida está errado. E hora de se recolher. A tristeza se parece muito com a dor física. Se nos cortamos ou batemos, toda nossa atenção se volta para o ferimento, a tristeza parece com um ferimento emocional, é hora de olhar pra ele também!

Por esse motivo, a pessoa que está triste se recolhe, prefere o isolamento, fica pensativa… Ela precisa mudar algo, precisa tomar alguma atitude. O problema, segundo Steven Hayes, é a dificuldade que temos de aceitar a tristeza. A pessoa não aceita estar triste, então fica triste por estar triste e frustrada por não estar feliz… Ao notar a tristeza me deprimo. Ao me deprimir, fico ainda mais triste. É uma espiral descendente até o fundo do poco. Isso pode transformar a tristeza em patologia, o que chamamos de depressão. A tristeza é um sinal de que algo precisa ser feito, é apenas um aviso. Entenda esse aviso, ele pode ser muito útil. Negar ele pode ser perigoso. Deprima-se e seja feliz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *