E quando o seu filho não quer compartilhar?

Por Jenifer Simões, psicóloga da Crauss Psicologia Cognitiva.

Seu filho está brincando com algo que ele escolheu levar, então chega o amiguinho sem brinquedo (lembrando que ele está utilizando o brinquedo), aí você na melhor das intenções diz para o seu filho(a): – “empresta para o amiguinho!”. A criança não empresta. Parece até que gruda cada vez mais nele. Mas você é uma boa mãe ou pai e insiste na tentativa de ensinar o filho(a) a compartilhar as coisas, mas será que dessa forma ele(a) estará aprendendo isso?

Vejamos… Você está dirigindo seu carro novo pela cidade (aquele carro que você esperou por muito tempo para ter), aí vem o policial numa blitz e diz “cara desce do carro, você já andou bastante, agora é a vez desse cara aqui que resolveu sair sem carro”. Dá para ver a diferença? Parece um pouco injusto né…

A melhor medida é sempre se colocar no lugar deles, por exemplo, você empresta TUDO a seus amigos? Claro que não né! Então, porque seu filho(a) tem que fazer o mesmo? Você só empresta algo que não estiver usando, certo? Então porque tirar o brinquedo da mão dele(a) e emprestar para o amiguinho?

Esse método que muitos pais utilizam como forma de ensinar a compartilhar, talvez não traga o efeito desejado, mas sim, uma ideia de que ele (a) tem que abrir mão do que é seu em benefício de outra pessoa. Uma sensação de injustiça acaba se formando, gerando sentimento de raiva e descontentamento, diferente do que se espera, por isso esta atitude acaba por não funcionar. Entenda que as crianças se tornam adultas com base no que vivem e dessa forma aprendem ainda na infância.

Uma coisa legal mamães e papais, é que nem sempre precisamos interferir na interação de uma criança com a outra, na verdade o ideal é que vocês deixem eles se resolverem sozinhos e só interfiram se realmente houver conflito.

Fatores como temperamento da criança podem influenciar no comportamento dela, é importante observar e respeitar as interações do seu filho(a) e educa-lo(a) conforme as demandas dele(a). É natural que as crianças inicialmente não queiram dividir, isso muda de acordo com o desenvolvimento dela.

Uma forma bem interessante de ensinar as crianças a dividir é apresentar brincadeiras como jogos, por exemplo, em que elas podem formar equipes ou mesmo aqueles em que ele(a) joga sozinho contra o outro jogador, nesse caso terá que esperar a vez e dividir o mesmo brinquedo.

O ato de partilhar algo pode ser aprendido pela criança convivendo com esse modelo em casa, onde os pais se apresentam solidários.

Dessa forma, o comportamento dos pais é sempre o melhor exemplo para que a criança internalize algum conceito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *