Mudanças no comportamento da criança durante o isolamento social? Dicas práticas para auxiliar na adaptação à nova rotina.

Por Caroline Tirelli, Psicóloga da Crauss Psicologia

A pandemia causada pelo COVID-19 espalhou-se rapidamente pelo mundo e mudou completamente a rotina da maioria da população. A principal medida adotada para conter o vírus foi o isolamento social que restringiu consideravelmente a circulação de pessoas na rua, bem como fechou escolas, comércios, áreas públicas e privadas. Assim, as famílias se viram de um dia para o outro confinadas em casa e sobrecarregadas com demandas domésticas, escolares, profissionais e emocionais.
Em consequência às rápidas mudanças de rotina, exposição diária às informações da mídia e níveis elevados de tensão no âmbito familiar, muitas crianças têm apresentado alterações emocionais e comportamentais como irritabilidade, medo, tédio, solidão, dificuldade de concentração, inquietação, alterações no sono e na rotina alimentar. Cabe lembrar que a escola é um das principais redes de sociabilidade do mundo da criança e que agora está privada da convivência com os colegas e professores. Tal privação tem impacto significativo na vida emocional e comportamental dos pequenos. Além disso, os adultos, muitas vezes, estão indisponíveis emocionalmente para lidar com as demandas dos filhos devido às preocupações pela pandemia – o que acaba por intensificar os ânimos familiares, ocasionando mais conflitos e discussões.
É importante compreender que o momento exige, mais do que nunca, paciência e assertividade nas relações familiares. Para amenizar os sintomas infantis, algumas medidas podem ser tomadas como:
– Estabelecimento de rotina (planejamento do dia, horários para acordar, comer e dormir, bem como horários para as atividades profissionais/escolares/lazer e descanso);
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
– Uso consciente das tecnologias de acordo com a idade da criança (TV, celular, tablet), observando horários apropriados ao uso e conteúdos adequados.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
– A continuidade das atividades escolares é importante, mas ainda mais importante é considerar a possibilidade das crianças manterem contato com os colegas e professores. O maior aprendizado nesse momento é desenvolver recursos internos para lidar com adversidades. Por isso, não cobre da criança um ritmo escolar de excelência. Isso pode causar mais estresse.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
– Em relação à pandemia, converse com as crianças de forma honesta e com linguagem adequada à idade. Não precisa ter medo de falar nesse assunto – uma comunicação acolhedora pode diminuir sentimentos de angústia e ansiedade.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
– Organizar essas demandas é um desafio que requer uma estrutura razoável, mas também uma postura flexível. As cobranças não devem se sobrepor à paciência e à tolerância com a nova rotina.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Lembre-se que por mais desafiador que possa ser, o momento pode servir para fortalecimento de vínculos afetivos entre pais e filhos. O maior aprendizado desse momento para as nossas crianças é o desenvolvimento do senso de coletividade e cuidado mútuo.
Em caso de dúvidas, sinta-se à vontade para entrar em contato comigo. Será um prazer ajudá-lo (a).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *