Por que estamos tão ansiosos? 

Por Adriana Teixeira Fraga, Psicóloga na Crauss Psicologia.

Medo, palpitação, sudorese, calafrios, pensamento acelerado: sintomas típicos de uma reação ansiosa do nosso organismo. Ao nos remetermos aos nossos ancestrais, temos as reações de ansiedade como formas de alerta e meio de sobrevivência. Cabe lembrar que naquela época, lugares altos eram desconhecidos, os frutos precisavam ser experimentados e podiam ser venenosos, andar em campo aberto podia significar virar um belo “jantar” de lobos. Guardar comida para o inverno era um meio de garantir a sobrevivência dos filhos e a perpetuação da raça humana. Quem não fosse ansioso não sobreviveria.

Hoje, nossos “lobos” são outros, a violência, a inflação, a corrupção, o desemprego, os novos vírus. É fácil entender, porque em alguns momentos o nosso corpo reage como o dos homens das cavernas. Porém cabe ressaltar a importância de nos adaptarmos e entendermos a serviço de que as reações do nosso corpo estão, e mais do que isso, quando essas reações estão aparecendo de forma exacerbada. Ter sintomas ansiosos em uma Era que nos remete a uma vulnerabilidade semelhante à de centenas de anos atrás é compreensível, porém, não permita que isso ocupe um lugar maior na sua vida. Você não precisa enfrentar isso sozinho e se manter ansioso o tempo inteiro, suas reações de medo não precisam ser avassaladoras ou paralisantes. Os profissionais da saúde mental estão aqui para te ajudar a entender e regular a sua ansiedade, criando meios de torná-la adaptativa ao invés de patológica.

A ansiedade é uma reação esperada do nosso corpo diante de estímulos vistos como ameaçadores. Entretanto, nos Transtornos de Ansiedade estas reações se apresentam de forma muito intensa e sem a presença de um estímulo real, mas imaginário, deixando de ser reações funcionais saudáveis para se tornarem reações patológicas (doentes).

Se olharmos ao nosso redor, temos a nítida impressão de que muitas pessoas estão vivendo no amanhã, se antecipando a possíveis tragédias, se apressando em terminar tarefas, furando filas e assim alimentando uma sensação contínua de apreensão: ANSIEDADE.

Não regular a ansiedade pode resultar em uma incapacidade funcional, abrindo portas para diversos transtornos mentais, tais como: abuso de substâncias, depressão, pânico, TOC, TAG…

A Terapia Cognitivo Comportamental para Transtornos de Ansiedade se mostra eficaz ao ter como principais objetivos mostrar ao paciente o entendimento do que é ansiedade, monitorar sintomas, usar técnicas cognitivas e comportamentais que auxiliam no manejo do quadro e prevenir recaídas.

Cuide da sua Saúde mental! Agende uma consulta com os profissionais da CRAUSS Psicologia Cognitiva.

Participe da discussão

2 comentários

  1. Adorei seu artigo. Objetivo, claro e completo. Não me deixou com dúvida e nem aumentou minha ansiedade, pois não fez rodeios para segurar minha curiosidade e me induzir a nenhum produto (o atendimento). Muito obrigada!
    Vcs têm cursos de formação em psicoterapia?

    1. Boa tarde!! Temos cursos presenciais e logo lançaremos cursos online!! Que bom que gostou dos nossos textos, nosso intuito é realmente instruir muito mais do que vender. um abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *